TEMPO - CLARISSE DA COSTA - BIGUAÇÚ/SC

Tempo... Tudo que precisamos nos dias de hoje ou se preferir em uma tarde qualquer das estações. Pois bem, tive pensando nesse tempo. Não no tempo do relógio a batucar o tic e o tac, mas em um tempo indeterminado.

Pensei quando seria o meu tempo, e se eu deveria esperar. Então me veio à sensação de vazio. Aquela falta de algo, mas nada além do sentir. Já hoje, eu tenho algo concreto.

O tempo pra mim parece não passar, ao contrário da vida.  Vejo-a seguir sem me levar com sigo.

Talvez essa condição deva partir de mim, sair do tempo que parece ter parado e deixar a vida me levar junto com sigo. Mas me vejo perdida quando penso em tudo isso. E aí me perco no tempo.

E quem já nunca se perdeu?

Sinceramente, agora, tudo que eu quero é que o tempo pare e volte à 2014, exatamente em 6 de outubro e ali ficar estacionado para que todos os dias eu receba o abraço de minha queria mãe, já falecida.

Hoje, só por hoje, eu queria ser realmente forte e ter tempo, tempo de Deus, para amar; abraçar e rir; abraçar e ser amada.