EU VEJO ESTRELAS NO CHÃO - SAMUEL DA COSTA - ITAJAÍ/SC

Um brilho raro

 Efêmero

Sintético

Abstrato

Em meio à escuridão

Da luz do dia

E mais nada

Para além disso

***

Eu vejo estrelas no chão

 Cadentes

Decadentes

Em paraísos artificiais

***

  Breves êxtase

E mais nada

Para além disso

***

Eu vejo estrelas no chão

Depois do brilho raro

Vem à depressão

Vem à dor

E o desespero

De estar vivo

***

Eu vejo estrelas no chão

São brilhos cósmicos

Em olhos injetados

Perdidos

Estáticos

Em paraísos artificiais

***

Eu vejo estrelas no chão

Mentes difusas

Atormentadas

Corpos celestes decadentes

Sem passado

E sem futuro