ANA ELIZABETH SIMÕES - JOINVILLE/SC

Há versos no tempo,

Há poesia no movimento

Há cabelos ao vento

Há desalento no amar

Em qualquer instante 

Esteja atento, 

Há alheamento no sonhar.

Há um assento em qualquer lugar.

Há um lugar de bom senso

Que se pode calar os ventos,

Desabrochar argumentos,

Da boca linda de falar.

Haverá adventos de calar.

Haverá o que digo e acrescento.

Palavras sem acento, tônico

Grave ou agudo. Acento mudo.

Acento de magia e de encantar.

Barravento do mar bravio a cantar.

Gritos no ar, como açoitamento,

Chicotes de lume e de chegar. 

Mas há o que ronda da vida,

O eterno aposento.

Dou-me em arroubamento,

Para nunca, nunca mais voltar!